E a beleza exorbitante?

No seu livro Beleza Exorbitante, Jean Galard escreve sobre a beleza que se apresenta na miséria e no horror.

https://amzn.to/3kgubAd

Fotografias de guerras e mazelas são abordadas pelo autor, que tem como mote do livro a exposição Êxodos de Sebastião Salgado para pensar a beleza e a brutalidade na arte. 

Reflete sobre se as imagens que muitas vezes nos causam horror podem ser vistas como belas. O autor ainda pensa sobre as fotografias e filmagens que ocorrem ao vivo e as imagens que são montadas pelos fotógrafos, se existe uma diferença de verdade entre as duas maneiras de mostrar algo.

Galard ainda aborda sobre a banalização do “ao vivo” que aparece nas tvs diariamente, coberturas de guerras e atentados que são mostrados, contatos e recontados. Fala sobre as imagens que aparecem com maior teor de “verdade”, feitas por pessoas comuns, que sacam suas câmeras nos celulares e registram os acontecimentos.

Haveria um senso comum de um teor de “verdade” maior nessas fotografias apressadas, pois são desprovidas de enquadramentos e retoques, mostrando uma maior verossimilhança com os fatos, seria o documento de uma situação.

Todavia Galard lembra que o objeto do olhar é fictício.   

Imagem: Lars Nilsson, Ghosts

Para comprar, link afiliado:

https://amzn.to/3kgubAd

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: