A arte de viajar

Alain de Botton fala em seu livro A arte de viajar, que os artistas (de qualquer modalidade) fazem um processo de simplificação do mundo para nós, de uma seleção que se manifesta em sua imaginação. 

Afirma que a narrativa da vida é, por vezes, tediosa, cheia de repetições, mas na arte encontramos imaginações que eliminam o tédio, dirigindo nossa atenção a alguns momentos, “sem mentir nem enfeitar”, conferindo vida à eles.

Na imagem: Edward Hopper, Cafeteria automática, 1927

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: