O que faz uma obra de arte uma obra de arte?

Você saberia responder essa pergunta?Eu poderia levantar algumas questões. Uma delas é que a obra de arte para ser obra de arte não pode se fechar em si mesma, ela precisa se abrir para os significados.E encontrar morada nas diversas apreciações.Cada vez que alguém olha para ela, consegue ver coisas diferentes. É por isso queContinuar lendo “O que faz uma obra de arte uma obra de arte?”

Ilya e Emilia Kabakov

Ilya Kabakov (1933-) é um artista de origem ucraniana na época em que a Ucrânia fazia parte da União Soviética[1]. Nasceu na cidade de Dnepropetrovsk, viveu por 30 anos em Moscou e com 54 anos de idade imigrou para os Estados Unidos, onde reside atualmente. Ainda na União Soviética, estudou na VA Surikov Art Academy,Continuar lendo “Ilya e Emilia Kabakov”

2 retratos de Malala Yousafzai pela artista iraniana Shirin Neshat

O mundo voltou os seus olhos novamente para o oriente, com tamanha perplexidade estamos acompanhando as notícias que chegam sobre o Afeganistão…O que nós, aqui de longe, podemos fazer? Sinceramente não sei… talvez um caminho é ficarmos sempre alertas e não nos acomodar com os nossos direitos adquiridos, nossa liberdade é apenas um fio… EssasContinuar lendo “2 retratos de Malala Yousafzai pela artista iraniana Shirin Neshat”

A obra de Urs Fischer

O desmoronamento, a liquidez, a volatividade…O universo das obras do artista suíço Urs Fischer (1973) é um universo imaginário, onde insere ovos no rosto de pessoas fotografadas, cria um rombo na parede do espaço expositivo, combina elementos que a princípio nada podem ter relação um com o outro… São obras inusitadas que causam um estranhamentoContinuar lendo “A obra de Urs Fischer”

A leveza das asas de Ilya e Emilia Kabakov

How can one change oneself? (Como se pode mudar?) Essa é uma pergunta feita nessa obra de Ilya e Emilia Kabakov.Essa obra apresenta asas de anjos feitas de penas fixadas em um colete. Ao lado um desenho e um texto que começa com a pergunta: “Como você pode se tornar melhor, mais gentil, mais decente?”Continuar lendo “A leveza das asas de Ilya e Emilia Kabakov”

Que emoção!

A emoção não é um ato passivo, assim acredita e defende o historiador da arte Georges Didi-Huberman em seu livro Que emoção! Que emoção? A emoção seria uma moção, um movimento de transformação. Não existem emoções ruins, existiriam emoções que não foram bem aproveitadas. Você concorda com o autor? Na imagem uma fotografia da artistaContinuar lendo “Que emoção!”

Já tem o seu livro da Artemisia Gentileschi da Tashen? Não? Claro que não, ele não existe!

As artistas EvaMarie Lindahl & Ditte Ejlerskov tem um projeto de arte chamado ABOUT: THE BLANK PAGES (Sobre: as páginas brancas). Elas mapearam em 2014 que a famosa editora que publica livros sobre artistas tinha 97 nomes de artistas publicados em seu catálogo, mas apenas 5 eram mulheres. EvaMarie e Ditte fizeram então o projetoContinuar lendo “Já tem o seu livro da Artemisia Gentileschi da Tashen? Não? Claro que não, ele não existe!”

As aventuras de Guille e Belinda e o anigmático significado de seus sonhos

Fiquei com vontade de compartilhar aqui na página alguns artistas que eu estudei ao longo da vida… Começo com Alessandra Sanguinetti e sua série fotográfica “As aventuras de Guille e Belinda e o enigmático significado de seus sonhos”.Na série, a artista mostra o idílico cotidiano das primas Guillermina e Belinda. Construindo um diário imagético noContinuar lendo “As aventuras de Guille e Belinda e o anigmático significado de seus sonhos”

4 livros sobre arte contemporânea

A arte contemporânea pode ser muito simples de um ponto de vista que olha para ela como uma manifestação dos nossos dias. Mas como algo tão próximo de nós pode ser às vezes tão complicado de entender? Segue aqui alguns livros que podem ajudar nessa descomplicação. São livros objetivos, que tratam da arte a partirContinuar lendo “4 livros sobre arte contemporânea”

Arte Contemporânea e a mediação por textos

Você já foi em alguma exposição de arte contemporânea e sentiu que precisava ler algo antes pra entender em qual terreno estava pisando? Em seu livro Arte Contemporânea no Brasil, Maria Amélia Bulhões reflete sobre como a arte contemporânea parece precisar da mediação de textos, na parede da exposição, em catálogos e livros e tambémContinuar lendo “Arte Contemporânea e a mediação por textos”