Fruição

Vamos falar sobre FRUIÇÃO? No nosso caso, fruição estética? Você já está familiarizado com esse termo? Pois então, fruição estética está ligada a maneira como nos relacionamos com as obras de arte, até mesmo como consumimos sua presença nas exposições ou em imagens. Quando você vai em um museu, quanto tempo você se oferece paraContinuar lendo “Fruição”

Ensaios fundamentais artes plásticas

Ensaios Fundamentais Artes Plásticas, de organização de Sérgio Cohn, reúne textos críticos de diversos autores que tratam de temas diferentes, mas todos sobre a arte brasileira, “A Bienal de lá pra cá” de Mário Pedrosa é um deles. A arte no Brasil do século XX se preocupou em produzir uma arte brasileira que, ao mesmoContinuar lendo “Ensaios fundamentais artes plásticas”

A escultura no campo ampliado

O texto A escultura no campo ampliado foi publicado originalmente na Revista October em 1979. A versão traduzida foi publicada na Revista Gávea em 1984. Você encontra facilmente essa versão em pdf jogando o nome no google. Apesar de pequeno, o texto é denso, e foi fundamental para que críticos e historiadores de arte repensassem a categoriaContinuar lendo “A escultura no campo ampliado”

6 livros de História da Arte a partir do século XX

A arte a partir do século XX se transformou de maneira avassaladora. De pintura e escultura passamos para uma profusão de linguagens que tomaram o espaço, se apropriaram de objetos, utilizaram o próprio corpo como base, adentraram as cidades etc. A arte moderna e contemporânea tem suas particularidades.  Aqui estão 6 livros que podem nos ajudarContinuar lendo “6 livros de História da Arte a partir do século XX”

A cor que ganha o espaço em Hélio Oiticica

Você já teve a oportunidade de vivenciar uma das obras de Oiticica?   Em seu texto “A transição da cor do quadro para o espaço e o sentido de construtividade”, o artista Hélio Oiticica reflete sobre como a sua produção artística foi se transformando, principalmente sobre a sua transição do quadro para o espaço a partirContinuar lendo “A cor que ganha o espaço em Hélio Oiticica”

O homem sem qualidade caça palavras

Telas de caça palavras??? Temos! A artista Elida Tessler em seu trabalho “O homem sem qualidade caça palavras” foi baseado no romance “O homem sem qualidades” de Robert Musil. A frase afirmativa que dá nome ao livro levou a artista a destacar todos os adjetivos presentes no texto, o que resultou em 30301 palavras.  O trabalho reúne 134Continuar lendo “O homem sem qualidade caça palavras”

O espaço na arte contemporânea

Alberto Tassinari em seu livro O espaço Moderno escreve sobre a comunicação entre o espaço do mundo em comum e o espaço em obra. Diz que o espaço do mundo em comum, o espaço que habitamos, é também o espaço da obra quando a obra está inserida no mundo e requisita parte dele para existir.Continuar lendo “O espaço na arte contemporânea”

Anna Bella Geiger: Passagens Conceituais

No livro Anna Bella Geiger: Passagens conceituais, a autora Dária Jaremtchuk faz um panorama da arte conceitual no Brasil, com enfoque na produção da artista. Defende o que chama de teses alargadas da arte conceitual, e diz que ela não começou exclusivamente nos Estados Unidos com o artista Joseph Kosuth. Diz que o conceitualismo foiContinuar lendo “Anna Bella Geiger: Passagens Conceituais”

Hélio Oiticica e o Esquema Geral da Nova Objetividade

O artista Hélio Oiticica escreveu o texto Esquema Geral da Nova Objetividade para pensar a arte brasileira em 1967. Essa Nova Objetividade seria a formulação de um estado típico da arte brasileira, mas Oiticica define que não é um movimento como o cubismo, por exemplo, mas é a reunião de múltiplas tendências. E define asContinuar lendo “Hélio Oiticica e o Esquema Geral da Nova Objetividade”