O corpo em ruína

No livro O corpo Impossível de Eliane Robert Moraes, ela faz uma revisão sobre como o corpo vem sendo apresentado desde o Modernismo até à arte contemporânea nas artes visuais e literatura. E relembra sobre a fragmentação do corpo com a experiência do pós-guerra. 2020 parece ser o ano onde certezas, planos e sistemas de crençasContinuar lendo “O corpo em ruína”

Michael Archer e o que é arte?

Michael Archer em Arte Contemporânea uma história concisa, começa seu livro refletindo sobre como hoje parece não existir nenhum material em particular que seja reconhecido como material de arte, pois na contemporaneidade, além de tinta, metal e pedra, são utilizados ar, luz, som, palavras, pessoas, comidas e tantas outras coisas. O autor afirma que éContinuar lendo “Michael Archer e o que é arte?”

O historiador da arte Bernard Berenson e a felicidade

Bernard Berenson (1865-1959) foi um historiador da arte que se dedicou aos estudos da arte renascentista italiana. Ao escrever suas memórias no livro Esboço para um auto-retrato, reflete sobre a memória, sobre como em sua velhice enormes blocos de memória se desprendem e se dissolvem no esquecimento. Reflete ainda sobre a imortalidade, pois como nelaContinuar lendo “O historiador da arte Bernard Berenson e a felicidade”

Imagem e Arte

A historiadora da arte Camille Paglia em Imagens Cintilantes reflete sobre a vertigem de imagens que temos acesso na contemporaneidade. E diz que uma solução é oferecer aos olhos uma oportunidade de percepção estável por meio da contemplação da arte. Imagem: Detalhe da obra O mar de gelo, de Caspar Friedrich, do capítulo 15, RuínaContinuar lendo “Imagem e Arte”

O escolhido foi você, Miranda July

Miranda July (1974) é norte americana, é artista visual, atriz, roteirista, diretora, performer, escritora… Em O escolhido foi você (It chooses you na versão original), ela apresenta uma série de entrevistas e, ao mesmo tempo, relata o seu processo de criação do roteiro do filme O futuro.Você já parou pra pensar que o próprio processoContinuar lendo “O escolhido foi você, Miranda July”